Katherine Burley – EUA

1. Fala-nos um pouco sobre ti. 
Olá! O meu nome é Katherine, tenho 37 anos e sou mãe a tempo inteiro dos meus 5 filhos, em breve 6. A idade dos nossos filhos vai dos 15 anos aos 5 1/2, e terei 5 meninos quando este novo bebé aparecer a qualquer momento. Estamos todos muito empolgados!

2. Como/Porque decidiste entrar no mundo do Babywearing? 
Comecei a pesquisar sobre babywearing com o meu 4º bebé, mas no final acabei por usar apenas um pano elástico, que não gostei muito. Sentia o pano muito apertado ou então demasiado solto com toda a elasticidade quando minha filha ficou mais velha. Eu comecei realmente a pesquisar melhores opções quando estava grávida do meu 5º bebé e acabei por comprar alguns tamanhos diferentes para usar, e estou muito feliz por isso! O meu rapaz tinha muitas cólicas e só ficava calmo comigo ou nos meus braços, durante os primeiros 6 meses, por isso carregá-lo foi a única coisa que me permitiu fazer as tarefas pela casa.

3. Babywearing é algo comum no teu país? O que pensam as pessoas sobre isso?
Por aqui é mais comum utilizar mochilas do que panos, mas eu às vezes vejo ocasionalmente um ou outro. Os panos são incomuns o suficiente para eu receber alguns olhares e comentários curiosos, mas gosto de explicar e partilhar a minha experiência quando me perguntam.

4. Qual é o teu porta-bebés preferido?
Hmm, se eu *tivesse* que escolher um porta-bebés preferido provavelmente seria o meu amado Woven Wings Dramatic. É um geo arrojado em tons verde maçã/amarelo fluorescente sobre preto e é feito com algodão penteado super macio e merino suave como o rabo de um bebé. É preciso experimentar para acreditar e tem WQ’s absolutamente fantásticas.

5. Tens um porte preferido?
O meu porte preferido tornou-se rapidamente o Double Hammock por volta dos 8 meses do meu quinto filho e fazemos este porte com tanta frequência que se tornou instintivo.

6. Que dificuldades sentiste nesta tua jornada de babywearing?
Equilibrar um bebé agitado enquanto tentava aprender portes diferentes para ver o que ele mais gostava foi definitivamente o mais difícil.
No início acabava de entrapar muitas vezes completamente suada e frustrada! Mas eu estava determinada em aprender e gradualmente descobri como ajustar melhor e aprimorar cada um desses portes para se adaptar a nós. As coisas ficaram muito mais fáceis com algum tempo e prática! 

7. Que conselho tens para novos pais? 
Se eu tivesse um conselho para novos pais seria o de os incentivar a respirar e relaxar quando pudessem, sabendo que o tempo e a observação irão ajudar bastante a resolver quaisquer pequenas percalços no processo.