ERNA CEMAN – BOSNIA

1. Conta-nos um pouco de ti. 
O meu nome é Erna e sou uma entusiasta do babywearing. Este ano faço 30 anos. A minha casa está localizada na pequena cidade de Tesanj, na Bósnia e Herzegovina. Este é o lugar onde nasci e onde vou criar os meus filhos. Atualmente, tenho um filho de vinte meses bastante independente. O babywearing está numa fase inicial por aqui, as pessoas estão a perceber a necessidade de carregar os seus filhos. O mercado está inundado de porta bebés inadequados e espero que as mães que compartilham o mesmo amor e paixão por cuidar dos bebés, possam mudar ou pelo menos influenciar esse cenário.

2. Como/Porquê decidiste entrar no mundo do Babywearing?
Sou nerd por natureza e, depois de descobrir que estava grávida, o meu processo de aprendizagem começou. Fui introduzida ao babywearing pela minha cunhada. Lembro-me daqueles dias em que estava tão insegura e com medo de que o babywearing pudesse ter algumas consequências no desenvolvimento do meu bebé. Mergulhei profundamente nesse assunto e, antes do meu filho nascer, decidi comprar o Caboo. A primeira vez que carreguei o meu filho foi quando ele tinha 5 dias e o amor instantâneo nasceu. Eu conseguia abraçar o meu bebé constantemente e eu podia sentir a sua respiração no meu peito.

3. Babywearing é algo comúm no teu país? Que pensa a gente sobre isso?

4. Qual é o teu porta bebés favorito?
Logo depois tentei os panos de tecido e caí mesmo na toca do coelho. Comecei a experimentar misturas diferentes e o que realmente me atraiu ainda mais no babywearing foi tentar diferentes portes. Eu poderia jurar que minhas capacidades motoras melhoraram significativamente ao carregar o meu pequeno. Agora uso exclusivamente panos de tecido, porque o meu filho é mais velho e tem mais de 12 kg.

5. Qual é o teu porte favorito?
Prefiro portes com várias camadas com diferentes acabamentos, Twisted Pirate Carry, Charlie’s Cross Carry. Mesmo que eu nunca tenha sido uma pessoa muito chique, tenho um enorme amor por acabamentos sofisticados.

6. Que dificuldades sentiste nesta etapa de babywearing?

Sinto que a minha jornada de babywearing foi uma experiência incrível. Passámos por diferentes estágios, onde carregávamos várias vezes ao dia e agora quando o carrego não é diário. O mais importante é ouvir atentamente o seu filho, para que ele tenha uma experiência positiva.

A coisa mais surpreendente sobre o babywearing é que você conhece muitas mães maravilhosas e fortes com quem se tem tantas coisas em comum. Eles são altruístas em compartilhar os seus conhecimentos e porta bebés. Eu fico mais do que agradecida por manter amizade com algumas delas depois do nosso período de babywearing.

7. Que conselho dás aos pais recentes?
Fique perto dos seus pequenos, eles não vão ficar viciados no colo, apenas se tornarão indivíduos independentes que sabem que podem contar com os pais. E, por favor, tente todos os porta bebés possíveis, misturas inimagináveis, apenas para experimentar o que é melhor para si, é claro, se os seus recursos permitirem.